DEV Full Stack? O que é isso?


56 visualizações

DEV Full Stack? O que é isso?

Coringa ou T-Shape da Tecnologia?

O “Coringa” em uma empresa é o cara que faz de tudo, seja qual for a sua profissão. Falo daquele sujeito que vai além da sua zona de conforto e sabe fazer no mínimo um pouco de cada coisa. Ele conserta, atende, limpa, fala com o chefe, manda e até desmanda se necessário... é só chamar que ele resolve. Ou ele entende do assunto ou vai entender rapidinho. Quem não quer um Coringa na equipe!?

Mas vamos lá, existe outro termo para definirmos esse cara multidisciplinar? Tem sim, T-Shape (formato T)! T-Shape (Formato T) é um termo difundido e que consta no FAQ da Harvard University. Este então é carregado de significado. 

Para você que está curioso, vou te ajudar. Na imagem ao lado a parte vertical do T demonstra a profundidade das habilidades de uma pessoa em uma área específica, já o eixo horizontal são os outros conhecimentos gerais que esse profissional tem e que são preciosíssimos para as engrenagens da empresa possam girar.

Estes conhecimentos extras podem ir para qualquer direção, como por exemplo entender bem do mercado da empresa em que trabalha. Neste eixo horizontal também estão as chamadas 'soft skills', que representam habilidades mais simples, do cotidiano. Por exemplo: quanto o nosso coringa é boa-praça, se sabe botar ordem na casa quando precisa, se tem um jogo de cintura e claro, porque não estampar um belo sorriso até nos momentos difíceis.

Mas e o Full Stack?

Este é o Coringa do desenvolvimento de sistemas! O desenvolvedor Full Stack é aquele que pode atuar em qualquer etapa do desenvolvimento de sistemas. Seja no Front-End ou no Back-End.

Profissional Front-End é àquele que possui conhecimentos para desenvolver interfaces gráficas para serem exibida ao usuário. Em outras palavras, tudo o que se pode ver na tela: disposição do texto, botões, campos entre outros. Ele é o responsável por construir a parte do software que toca no usuário e por isso precisa estar alinhado com noções de ergonomia, bem como entender como o usuário pensa e se comporta. Está no meio de campo entre o Web Designer – que muitas vezes pode ser ele mesmo ou o Designer da Agência e o Profissional Back End (que vou explicar mais abaixo).  

Na maioria dos casos seu trabalho lida com Lógica de Programação, HTML & CSS, JavaScript & jQuery, Ajax, TypeScript, Angular, Responsividade (Bootstrap), React, React-Native, Android, iOS dentre outras milhares de ferramentas.

Já o profissional Back End é aquele que trabalha por trás dos bastidores. O profissional responsável pela lógica de instruções que fazem um sistema girar. Ou seja, este profissional programa, codifica e testa, além de garantir a integridade de todas as informações no banco de dados, até mesmo mantém e cria servidores. Para tal este precisa dominar diversas linguagens de programação, e não são poucas! As de alto nível são as mais comercialmente procuradas. Elas são mais fáceis de aprender e codificar, por se aproximam da linguagem humana. São exemplos destas: Java, Python, PHP, C#, C, C++... Já outras linguagens mais antigas, e procuradas hoje em dia por objetivos mais específicos, como Assembly, são as de baixo nível e estão mais próximas da metodologia binária (linguagem de máquina, que é a única que o computador entende de fato).

 

E o Full Stack faz tudo isso? É possível?

Cada vez mais o mercado busca profissionais que sejam multitarefa e que estejam ligados e participantes em todas as etapas dos projetos. Quando a empresa é pequena chega a ser natural que esse profissional abrace muitas funções que não são sua especialidade. Por isso a importância de conhecer, trabalhar e se informar constantemente sobre diversas tecnologias. Mas para quem está começando isso pode parecer ser um tanto complexo e altamente desafiador.

A verdade é que grande parte dos profissionais ditos como Full Stack hoje não tinham esse objetivo quando iniciaram suas carreiras, e no fundo sabem que são mais T-Shape (com conhecimentos mais aprofundados em determinadas áreas, e mais superficiais em outras que são genéricas. Este aprendizado se dá conforme são demandados).

para novas tarefas).

E como saber por onde começar?

A ProWay pode te ajudar a se tornar um FullStack Full Stack, mas isso depende muito da vontade e disposição do candidato. Para tal, oferece diversos cursos que são a porta de entrada e já ajudaram milhares de profissionais a reforçarem suas habilidades horizontais e verticais do T.

Na linha Front End a ProWay oferece a Formação Web Design e Web Develop. Já se o objetivo é tornar-se um DEV Back End, conheça as linguagens de programação de alto nível, sendo as mais procuradas atualmente: Java, Python, C# e PHP. Assim como cursos complementares como MySQL (Banco de Dados), Xamarim (criação de aplicativos nativos), dentre outros.

A fim de formar esse profissional T-Shape conheça a nossa Especialização DEV & Web cujo objetivo a mesclar diversos cursos tanto na linha Front quanto Back End, formando um pacote completo a vontade do cliente, com descontos que chegam a ultrapassar 50% (em relação ao valor dos cursos adquiridos de forma avulsa), além ganhar um super prêmio a escolher: Fone de Ouvido Razer Kraken ou HD Externo de 1TB.

Gostou da matéria? Esclareceu suas dúvidas e quer saber mais sobre nossos cursos? Então clique aqui!

 

Redação: Nayara Tomio Sestrem, Marketing e Relacionamento com o Cliente da ProWay em apoio com o instrutor Simon Rocha: Software Developer & Teacher da ProWay




Postagem relacionadas



Postagem nas categorias



Postagem nos meses

(4)Março de 2020

(4)Fevereiro de 2020

(8)Janeiro de 2020

(1)Dezembro de 2019

(5)Novembro de 2019

(3)Setembro de 2019

(1)Agosto de 2019

(1)Julho de 2019

(2)Abril de 2019

(2)Março de 2019

(2)Novembro de 2018

(1)Outubro de 2018

(3)Setembro de 2018

(1)Julho de 2018

(2)Junho de 2018

(1)Maio de 2018

(3)Março de 2018

(1)Fevereiro de 2018

(3)Janeiro de 2018

(1)Novembro de 2017

(1)Outubro de 2017

(1)Setembro de 2017

(6)Agosto de 2017

(2)Julho de 2017

(1)Junho de 2017

(1)Maio de 2017

(3)Abril de 2017

(3)Março de 2017

(2)Fevereiro de 2017

(1)Dezembro de 2016

(2)Novembro de 2016

(2)Outubro de 2016

(1)Setembro de 2016

(6)Agosto de 2016

(2)Julho de 2016

(2)Junho de 2016

(1)Abril de 2016

(2)Março de 2016

(3)Fevereiro de 2016

(2)Janeiro de 2016

(2)Dezembro de 2015

(1)Novembro de 2015

(2)Outubro de 2015

(3)Setembro de 2015

(2)Julho de 2015

(3)Junho de 2015

(1)Abril de 2015

(1)Março de 2015

(1)Fevereiro de 2015

(1)Janeiro de 2015

(1)Novembro de 2014

(1)Outubro de 2014

(3)Agosto de 2014

(1)Junho de 2014

(2)Maio de 2014

(2)Abril de 2014

(1)Fevereiro de 2014

(1)Janeiro de 2014

(1)Outubro de 2013

(1)Setembro de 2013

(1)Agosto de 2013

(2)Abril de 2013

(3)Março de 2013

(2)Fevereiro de 2013

(1)Novembro de 2012

(3)Outubro de 2012

(1)Agosto de 2012

(1)Julho de 2012

(3)Março de 2012

(1)Dezembro de 2011

(1)Outubro de 2011

(2)Agosto de 2011

(1)Janeiro de 2001

(4) de 0000